Campeonato Brasileiro
O caminho para o título
postado em 30 de outubro de 2015
Blog de blogdejj :BlogdoJJ, VITÓRIA COMO VISITANTE É O CAMINHO PARA O TÍTULO

 

JOSÉ JOAQUIM PINTO DE AZEVEDO - blogdejj.esporteblog.com.br

 

Sempre temos debatido com os nossos amigos que acessam o blog, que o destino de um clube vencedor no sistema de pontos corridos está atrelado as suas vitórias como visitante, e isso é traduzido e comprovado pelas estatísticas dos últimos nove anos.

Um clube tem 19 jogos como mandante, e nesse período estudado não constatamos nenhum que tenha conquistado os 57 pontos correspondentes a tais jogos. Mesmo tendo invencibilidade, alguns empates foram somados as suas campanhas.

Muitos empates também prejudicam, desde que em cada partida sem vencedor, os clubes perdem 66,6% dos pontos disputados, que no final são sentidos na classificação. Um cálculo simples mostra tal influência negativa, quando um clube empata 6 vezes, soma seis pontos, e perde 12. Cinco empates valem menos do que três derrotas e duas vitórias.

O empate dentro do limite é o complemento do que falta para a obtenção dos objetivos.

O jornalista Hiltor Mombach, do jornal ¨Correio do Povo¨, de Porto Alegre, levantou a questão dos visitantes e nos forneceu alguns dados, que foram checados e que mostraram uma realidade, ou seja, em nove anos, o melhor visitante conquistou o título por seis vezes (66,6%).

2006- São Paulo, 2º melhor mandante e 2º melhor visitante.

2007- São Paulo, 1º melhor mandante e 1º melhor visitante.

2008- São Paulo, 1º melhor mandante e 1º melhor visitante.

2009- Flamengo, 4º melhor mandante e 2º melhor visitante.

2010- Fluminense, 3º melhor mandante e 2º melhor visitante.

2011- Corinthians, 2º melhor mandante e 1º melhor visitante.

2012- Fluminense, 5º melhor mandante e 1º melhor visitante.

2013- Cuzeiro, 1º melhor mandante e 1º melhor visitante.

2014- Cruzeiro, 1º melhor mandante e 1º melhor visitante.

2015- Corinthians, 1º melhor visitante e 1º melhor mandante.

Um outro ponto a ser analisado é que nos mesmos nove anos de competição, nenhum dos campeões estiveram abaixo do segundo lugar como visitante.

Os estudos dos números são importantes para todos envolvidos no sistema do futebol, e mais ainda para as previsões dos analistas, que não podem deixar de lado as certezas que esses nos trazem.

Acontece
A volta da revista Clássico.com
postado em 30 de outubro de 2015


CLAUDEMIR GOMES

 

Saiu a nova edição da Revista Clássico.com. Fui convidado pelo Lenivaldo Aragão para participar do projeto iniciado por ele e José Neves Cabral. Após um hiato de quase dois anos, a revista está de volta. O cenário é bem diferente daquele no qual foi lançado o primeiro número. Estamos vivenciado
uma das maiores crises socioeconômicas da história do País. Mas não vamos desistir do nosso projeto.

Não se trata de um devaneio. Afinal, o tempo não para. Nada mais apaixonante do que a dinâmica dos esportes e o poder de superação dos atletas que vivem a desafiar limites.Nada é perene no universo esportivo, principalmente no futebol, onde tudo parece relativo, não existindo uma verdade absoluta.

Ao invés de nos abatermos com o desânimo, sermos tragados pelo pessimismo, preferimos embarcar no sonho dos atletas que se preparam para disputar a primeira Olimpíada da América do Sul, no próximo ano, no Rio de Janeiro. A volta da Clássico.com nos traz a sensação de um pódio, e a certeza de que estamos prontos para novos desafios

leia mais ...

Brasileiro Série B
Para esquecer a matemática
postado em 29 de outubro de 2015

CLAUDEMIR GOMES

 

Durante toda quarta-feira, dia após a vitória - 2x0 - do Santa Cruz sobre o Criciúma, acompanhei, atentamente, os "matemáticos" que saíram das arquibancadas, e os que se mostraram nos
programas de rádio e televisão. Foram tantas as possibilidades criadas, todas no sentido de alimentar o otimismo dos tricolores em relação a uma provável classificação do time comandado por Martelotte para à Série A, que tive a sensação de estar andando na contramão.

Sei que os números dão o norte, e são eles que estão apontando para a existência de um fio de esperança. O problema é todos os cálculos, e ai entram dois componentes que comprometem as análises feitas no pressuposto - paixão e desejo - são feitos com uma combinação de resultados favoráveis. Há duas rodadas, quando o Santa Cruz perdeu o clássico para o Náutico, externei meu pensamento, em comentário feito na Rádio Globo, de que a sorte dos dois clubes pernambucanos seria decidida nos confrontos com os dois times baianos: Bahia e Vitória. O que é um grande risco, visto que, o momento dos tradicionais rivais é melhor.

Nesta fase decisiva, onde a contagem regressiva subtrai as chances de recuperação, apenas uma operação é válida: a soma.  O cálculo do acesso é preciso: 19 vitórias. Ao superar o Criciúma, o Tricolor do Arruda passou a somar 15 vitórias. Portanto, é preciso buscar mais quatro nos cinco jogos restantes. Detalhe: três dos adversários estão no G4 - Bahia, Vitória e Botafogo - concorrentes a uma vaga de acesso. Como sabiamente colocou Martelotte, o melhor, no momento, é esquecer calculadora.

Brasileiro Série A
Um São Paulo desconectado
postado em 29 de outubro de 2015

CLAUDEMIR GOMES


O São Paulo não suportou a pressão do Santos que precisou de 23 minutos para referendar sua condição de finalista da Copa do Brasil. Agora, o Tricolor Bandeirante tem apenas um caminho para chegar à Libertadores: o Brasileiro da Série A. Diria que a estrada é tortuosa e cheia de obstáculos. O primeiro deles é o Sport. Acredito que toda a comissão técnica e os jogadores assistiram ao jogo de ontem, e estudaram bem o adversário deste sábado.

O elenco sãopaulino é bom, mas falta harmonia ao conjunto, ou atitude. Nos dois jogos das semifinais da Copa do Brasil aconteceram apagões imperdoáveis, e o Santos não perdoou. Falcão não vai poder contar com Durval e Diego Souza, dois desfalques que serão sentidos no time do Sport. Marlone treinou normalmente e vai para o jogo. Menos mal. Evidente que uma desclassificação causa um impacto psicológico, mas não se pode mensurar o tamanho do prejuízo. A reação do adversário pouco importa, o fato relevante é a postura e a atitude que os leoninos devem adotar.

Muito se falou sobre a sequência de jogos do Sport. O Atlético/MG e o Palmeiras já foram despachados. São Paulo, Grêmio, Cruzeiro e Corinthians estão por vir. Não adianta se perder em elucubrações. Paulo Roberto Falcão sabe disso, e deve ter encontrado a fórmula para fazer com que seus comandados aproveitem bem os espaços sempre que o São Paulo se desconectar em campo, tal como aconteceu diante do Palmeiras.

leia mais ...

Artigos
Insensatez patológica
postado em 29 de outubro de 2015
Blog de blogdejj :BlogdoJJ, INSENSATEZ PATOLÓGICA


JOSÉ JOAQUIM PINTO DE AZEVEDO - blogdejj.esporteblog.com.br


O futebol brasileiro tem vários problemas, e entre esses a ausência de inteligência de pessoas que pensem o esporte com uma visão do futuro.

Quando tomamos conhecimento que a RGT deseja renovar um contrato que ainda não está em vigor, conversando com os clubes sobre o assunto, inclusive com propostas de adiantamento, chegamos à conclusão que existe mais uma enfermidade nesse esporte, diagnosticada como insensatez patólica, e que não tem  cura.

A emissora está exercendo um papel de quem tem recursos disponíveis, tratando com esfarrapados, que desejam vender os seus produtos, e aceitam qualquer oferta. Essa é a relação existente nos direitos de transmissão. Na fome, qualquer bolacha resolve.

Final de ano, folhas altas, 13º salários, débitos, e qualquer pixuleco que entre será bem recebido por quem tem tantos encargos. Essa propõe inclusive reduzir em 25% o valor dos repasses, mas com um adiantamento bem generoso para ser pago sem juros, ferindo o que determina o Profut.

Na verdade tal procedimento ajuda a afundar quem estava boiando em uma pequena tábua, e assim incrementar mais as dificuldades de nossos clubes, que realizam investimentos contando com o ovo no pescoço da galinha.

A crise econômica que tomou conta do Brasil serve como alerta para que qualquer tipo de antecipação não seja realizada, desde que o panorama não se apresenta factível para uma decisão como essa, quando o seu futuro nem Deus sabe dizer como será.

Em um país com uma inflação no patamar de 10% ao ano, um contrato longo financeiramente não é viável, mesmo com cláusulas de reajuste. No seu final estará totalmente desvalorizado.

Os dirigentes do futebol brasileiro fingem não entender que um bom negócio poderá ser formatado, através de algo chamado de concorrência, que incrementa o poder de barganha, viabilizando os bons contratos. Tem que haver o discernimento de que o que será bom de imediato, poderá ser prejudicial no amanhã.

Para a emissora que está negociando trata-se de um filé, pois livra-se de uma possível concorrência, vendo o produto por preços que vão até dez vezes a mais no que gasta na aquisição, protege a sua grade de programação, e, no final, terá os seus cofres recheados, enquanto os clubes ficarão comendo um osso, que foi corroído pelo tempo.

As agremiações deveriam ter uma assessoria econômica e financeira para dar as devidas orientações sobre assuntos como esse, e sobretudo ouvirem os seus associados sobre um algo que poderá afetar os seus futuros.

Uma concorrência no tempo certo, perto do final do novo contrato que será iniciado em 2016, seria salutar, e traria certamente um bom ganho para todas as agremiações, e a própria RGT poderia ser a vencedora, oferecendo valores reais e de acordo com o momento do mercado do futebol.

Infelizmente vivemos nesse ciclo vicioso, e os nossos cartolas com uma visão micro, se entusiasmam com o faturamento, sem visualizar os problemas que virão pela frente, inclusive para os futuros gestores.

Prorrogar algo que nem começou é pura insensatez.

leia mais ...