Brasileiro Série A
Gol relâmpago e lance de UFC
postado em 31 de agosto de 2015

CLAUDEMIR GOMES

 

O lateral direito do Sport, Samuel Xavier, teve seu momento de Anderson Silva, ontem à tarde, na Arena Pernambuco. Como futebol não é UFC, o árbitro catrinense, Bráulio Machado, coibiu a violência como se deve fazer: apresentando o cartão vermelho. O lance ocorreu aos 23 minutos do primeiro tempo, e foi decisivo para a derrota do Sport - 1x0 - para o Flamengo, resultado que pôs fim a uma invencibilidade de 30 jogos como mandante.

Apesar de o lance ter sido determinante para a derrota leonina, é importante ressaltar que o gol solitário do jogo aconteceu aos 4 minutos por conta de uma falha que tem sido recorrente: a defesa pára nas jogadas aéreas. Assim, o baixinho Everton, livre de marcação, não precisou nem sair do chão para cabecear e mandar a bola para dentro do gol de Danilo Fernandes. Os dois lances foi impactantes, e capitais, num confronto marcado por uma rivalidade que nasceu em 1987, e que tem sido alimentada pelos torcedores dos dois clubes, tendo como mote o título brasileiro daquela temporada.

A derrota do Sport não deve ser atribuída apenas a dois lances - o gol relâmpago e a expulsão de Samuel Xavier - e deve ser creditada também ao equívoco do técnico Eduardo Baptista em escalar, erradamente, mais uma vez, Élber para desempenhar a função de meia-armador. A "invenção" ocorreu no intervalo do jogo, fato que proporcionou o domínio total e absoluto do jogo por parte do Flamengo, no segundo tempo do jogo. Diante das inúmeras oportunidades criadas pelo rubro-negro carioca, o placar de 1x0 acabou por ser de bom tamanho para o Leão que ampliou para sete a sequência de jogos sem vitórias no Brasileiro.

Sem ter contabilizado nenhum vitória como visitante no primeiro turno da competição, o Sport segue, hoje à tarde, para Curitiba, pressionado para somar os três pontos da partida que disputará com o Coritiba, quarta-feira, sob pena de cair para a parte de baixo na tabela de classificação. 

leia mais ...

Brasileiro Série B
Patinação na Série B
postado em 30 de agosto de 2015

CLAUDEMIR GOMES

 

Dentre os nove primeiros clubes posicionados na tabela de classificação da Série A, apenas Náutico e Paysandu venceram na vigésima-primeira rodada do campeonato. O time paraense deu um salto para a vice-liderança da competição, enquanto o alvirrubro pernambucano passou para a sexta colocação com o mesmo número de pontos - 35 - do América/MG, quarto colocado. A distância que separa o primeiro colocado - Vitória/BA - e o oitavo colocado - Bahia - é de 3 pontos, ou seja, uma vitória.

A escassez de vitórias entre aqueles que compõem o grupo que vai brigar pelas quatro vagas de acesso mantém todos sob pressão de ir a campo em busca de vitórias. Tal particularidade aumenta a valorização do mando de campo, fato que torna uma vitória na condição de visitante um fator determinante de sucesso, e é isso que falta aos representantes pernambucanos: Náutico e Santa Cruz.

O Tricolor do Arruda começou bem a partida que disputou com o Paraná. Abriu o placar com o estreante Marcílio, jovem revelado nas divisões de base do clube, mas sucumbiu diante das falhas da dupla de zaga - Néris e Danny Morais - responsável pelos 3 gols marcados pelo adversário. A vitória - 3x2 - do Paraná foi incontestável, e deve ser creditada às lambanças cometidas pelo setor de contensão do time coral.

A combinação dos resultados manteve o Santa Cruz na oitava posição na tabela de classificação, entretanto, a distância em número de pontos para o G4 aumentou, o que aumenta a pressão sobre os comandados de Matelotte por uma vitória sobre o América/MG, quarta-feira no Arruda.

O Náutico, que já foi vítima de desatenção nos minutos finais de algumas partidas, soube aproveitar o vacilo da defesa do Boa Esporte, e com o zagueiro Rafael Pereira aparecendo como elemento surpresa, fez o gol da vitória que lhe aproximou mais do G4, mostrando que está mais vivo numa das disputas mais equilibradas da história da competição desde que passou a ser disputada pelo sistema de pontos corridos. Agora, os comandados de Lisca precisam dar uma demonstração de força conquistando uma vitória na condição de visitante, terça-feira, diante do Criciúma, em Santa Catarina. Se contabilizar os 3 pontos em disputa, os alvirrubros não só darão sustentação ao crescimento, como terá grande chance de voltar ao cobiçado G4.

Num campeonato onde os credenciados ao acesso patinam sem sair do lugar em várias rodadas, uma vitória fora de casa faz toda a diferença.

leia mais ...

Futebol Pernambucano
Esculhambação futebol clube
postado em 30 de agosto de 2015
Blog de blogdejj :BlogdoJJ, ESCULHAMBAÇÃO FUTEBOL CLUBE


JOSÉ JOAQUIM PINTO AZEVEDO - blogdejj.esporteblog.com.br


Tomamos conhecimento de algo grotesco com relação à rodada de abertura da Segunda Divisão do futebol de Pernambuco, que é equivocadamente chamada de Sub-23. Só na cabeça de quem não entende do setor.

Fizemos vários campeonatos dessa divisão em nosso estado, e o tratamento dado era similar ao da Primeira, com respeito a todos os clubes.

A competição era pensada com meses de antecedência, as vistorias aos estádios tinham o mesmo grau de exigências, e a competição, quando era programada, dava espaço para os clubes registrarem seus jogadores, e sempre orientados pelos que faziam o Departamento Técnico da mentora.

Hoje, tudo mudou, não para melhor, e sim para pior. O Campeonato uma semana antes de seu início ainda não tinha uma tabela de seus jogos, as vistorias nos locais não foram realizadas, um somatório de lambanças que demonstram de forma clara que essa competição que é importante para o nosso futebol, não é levada a sério pela entidade que o administra.

Na primeira rodada os reflexos da desorganização foram sentidos, e o jogo entre Petrolina e Araripina fez parte da Esculhambação Futebol Clube, com fatos que apequenam um futebol que vem caindo ano após ano.

O time da cidade de Araripina levou para o campo apenas 11 jogadores,  e entre esses dois goleiros, sendo que um deles foi escalado na linha, e ainda teve um jogador expulso. O motivo foi simples, o clube não teve tempo hábil para registrar os demais atletas.

Mais grotesca ainda foi a atitude do Petrolina, que colocou em campo um time inteiro que não estava inscrito no BID, o Boletim Informativo de Registros do Circo, que dá condição de jogos para os atletas. Motivo: deram entrada na entidade em cima da hora e não conseguiram registrá-los.

Como se pode levar a sério um esporte que é tratado com desprezo por aqueles que o fazem? A Segunda Divisão classifica dois clubes para a Primeira, e deveria ser tratada como mais respeito, o que não acontece.

O campeonato estava começando e pouco ou quase nada se falou sobre esse. Falta a divulgação, ou mais ainda a seriedade no trato, por ser uma competição importante no calendário estadual.

Conhecemos bem as dificuldades dos clubes que disputam essa divisão, que contam ainda com um sistema cartorial adotado pelo Circo e pelas federações estaduais, onde tudo se cobra e nada se dá, nem orientação.

Uma árvore plantada torta, crescerá torta, e isso pode ser aplicado a esse campeonato que foi formatado de forma torta, por mãos tortas, e que só poderia ter iniciado se todos os pontos tivessem sido checados.

Esse é o futebol que temos, e que nem CPI ou outros fatos poderão melhorá-lo.

Lamentável.

leia mais ...

Copa Sul-Americana
Além da classificação
postado em 27 de agosto de 2015

CLAUDEMIR GOMES

A goleada - 4x1 - que o Sport aplicou no Bahia, ontem à noite, na Ilha do Retiro, vai bem mais além da simples classificação para as oitavas de final da Copa Sul-Americana. A começar pelo comportamento e atitude dos jogadores, que resgataram a identidade com a mística da camisa rubro-negra. O resultado também pôs fim a uma incômoda sequência de oito partidas sem contabilizar vitórias. Por fim, reacendeu a confiança de todos - comissão técnica, jogadores e torcedores - em relação à reação do time no Brasileiro, que passa por uma vitória, domingo, sobre o Flamengo, na Arena Pernambuco.

 O surpreendente na coletiva do técnico Eduardo Baptista foi o desabafo sobre a questão da priorização de competições. O treinador leonino falou, dentre outras coisas, que ouviu de profissionais da imprensa, insinuações de que o Sport iria abrir o jogo. Técnico nenhum manda seu time abrir jogo. O problema foi o discurso dos dirigentes e do treinador, que, desde o início da temporada falaram sobre a importância da Sul-Americana. Em seguida, com o Sport descrevendo uma boa campanha no Brasileiro, a prioridade, segundo palavras de Eduardo Baptista a época, a prioridade seria a Série A. O atual cenário da competição nacional obrigou todos a fazer uma revisão de conceitos. É incontestável que, é mais fácil e provável o Sport conquistar uma vaga para à Libertadores através da Sul-Americana do que pelo Campeonato Brasileiro, onde terá um maior número de jogos contra adversários mais qualificados.

O mais sensato é não priorizar competições quando são disputadas paralelamente. A ordem é jogar o jogo e aguardar as circunstancias que diferem em todas as partidas.

A passagem para as oitavas de final da Copa Sul-Americana evitou um vexame, isso porque, esta é a terceira participação do Sport na competição continental. No primeiro ano - 2013 - despachou o Náutico e na fase internacional foi eliminado pelo Libertad do Paraguai. Em 2014 foi eliminado pelo Vitória da Bahia, não passando, portanto, da fase nacional do torneio. Agora, esteve na iminência de ser alijado da disputa por outro clube baiano. A visibilidade internacional é de fundamental importância para a afirmação do Sport como um dos grandes clubes futebol brasileiro.

leia mais ...

Acontece
CPI do futebol mira federações
postado em 26 de agosto de 2015

Blog do RODRIGO MATTOS


A investigação da CPI do Futebol amplia-se para as federações estaduais filiadas à CBF, principalmente a FPF  (Federação Paulista de Futebol), nicho de Marco Polo Del Nero. Além disso, já há um pedido para quebra de sigilo bancário e fiscal do vice-presidente da confederação José Maria Marin, preso na Suíça.

A apuração da comissão ainda está no início e por isso o objetivo é coletar o máximo de informações possíveis. Com esse intuito, o presidente da CPI, senador Romário (PSB), requisitou dados sobre processos nas Justiças Estaduais contra todas as federações.

No caso da Paulista, que era presidida por Del Nero, os requerimentos foram mais amplos. Além dos processo, foi pedido o contrato da Chevrolet com a FPF. A intenção é verificar a coincidência entre o fato de a GM, após a ascensão de Del Nero e Marin, ter se tornado parceira também da CBF. Há uma especial atenção aos intermediários do negócio.

Outro contrato de patrocínio da CBF que foi requisitado é com a Marfrig, fechado na época de Ricardo Teixeira e já rescindido em disputa que gerou processo judicial e que já foi tratado neste blog. Esses requerimentos serão apreciados na reunião desta quinta-feira da CPI.

Ao mesmo tempo, o senador Paulo Bauer (PSDB-SC), vice-presidente da CPI, requereu a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Marin. Esse pedido só deve ser apreciado na próxima semana porque há um prazo regimental para analisar sigilos.

Ao justificar o pedido, Bauer afirmou: %u201CA presente medida se torna imprescindível para verificar o recebimento de recursos de origem ilegal e averiguar crimes de fraude e lavagem de dinheiro, entre outros crimes que possam ter ocorrido durante o mandato como presidente da CBF.'''' Del Nero já teve seu sigilo bancário quebrado na semana passada pela CPI do Futebol.

leia mais ...