Brasileiro Série B
A espera da surpresa
postado em 31 de maio de 2013

CLAUDEMIR GOMES


O Sport volta a campo hoje à noite, desta feita para enfrentar o Figueirense, em Florianópolis. Será o terceiro jogo do Leão no espaço de sete dias. A maratona é uma imposição do calendário a todos os clubes que disputam a Série B.

Quem tiver um elenco já definido, e equilibrado, leva vantagem neste teste de resistência. Para os clubes do Norte e Nordeste o desgaste é maior em virtude do posicionamento geográfico, pois implica em viagens mais longas, muitas com trechos aéreos e terrestres.

O Figueirense está com um aproveitamento de 100%, e atuando como mandante, a ele é creditado o favoritismo para contabilizar mais uma vitória. O futebol catarinense evoluiu mais que o pernambucano nos últimos anos. Até no ranking das federações Pernambuco está abaixo de Santa Catarina.

O Sport passa por um processo de mudança, e o técnico Marcelo Martelotte ainda não teve a oportunidade de avaliar, de forma mais precisa, todas as peças que dispõe para trabalhar. A vitória sobre o ABC, no meio da semana, foi um resultado excelente, mas o futebol apresentado pelos rubro-negros deixou a desejar.

Se somarmos a essas dificuldades o fato de o Sport não ter um bom retrospecto como visitante, chegaremos à dedução lógica de que será uma missão quase impossível para o Leão, vencer o Figueirense no Orlando Scarpelli.

É mais um jogo para Martelotte observar o elenco que tem carências em todos os setores - defesa, armação e ataque. Em futebol de resultados surpresas acontecem com relativa frequência.

leia mais ...

Seleção Brasileira
Amistoso é liberado
postado em 31 de maio de 2013

FOLHA DE SÃO PAULO


Pouco mais de seis horas depois de conceder liminar suspendendo o amistoso entre Brasil e Itália, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro revogou a decisão e liberou a realização da partida do próximo domingo, que marcará a reabertura oficial do Maracanã.

A medida da juíza Adriana Costa dos Santos, que havia suspendido o jogo após pedido do Ministério Público Estadual, foi cancelada no fim da noite de ontem pela juíza Gracia Cristina Moreira do Rosário após recurso do governo do Estado do Rio.

O Estado apresentou os documentos que haviam sido cobrados pela Justiça. Entre eles, estava o laudo de prevenção e combate a incêndio.

Em nota enviada na tarde de ontem, o governo, responsável pelo estádio, informou que "todos os requisitos de segurança para o amistoso [...] foram cumpridos".

Afirmou ainda que, "por uma falha burocrática", o laudo da Polícia Militar comprovando o cumprimento das regras de segurança não havia sido entregue à Suderj (Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro).

O Ministério Público também havia pedido a suspensão do amistoso porque considerava que, no entorno do estádio, há pedras e entulhos da obra que podem ser usados para ferir pessoas em caso de tumulto ou provocar acidentes graves.

Na decisão em que vetou a partida, a juíza informou também que a arena não cumpria exigências sanitárias.

No processo em que pediu a suspensão do jogo, o Ministério Público pediu ainda o afastamento de José Maria Marin da presidência da CBF "diante da atitude de permitir jogos sem os referidos laudos de segurança". A entidade é responsável pelo amistoso.

Uma caminhada no entorno do Maracanã, no entanto, mostra que será difícil conseguir retirar todo o entulho das obras até domingo. Há trechos de calçada ainda não concluídos e outros interditados por telas protetoras.

BATALHA JUDICIAL

A reabertura do Maracanã se transformou em uma batalha judicial.

Em outra ação civil pública, o Ministério Público contestou a licitação que concedeu a exploração do estádio, por 35 anos, ao consórcio formado por Odebrecht (com 90%), IMX (empresa de Eike Batista, 5%) e AEG (5%).

Em abril, a Promotoria conseguiu liminar suspendendo a concorrência, mas ela foi cassada em 3 de maio.

Seis dias depois, o consórcio foi declarado vencedor, oferecendo R$ 5,5 milhões por ano pela exploração do estádio, mais a execução de obras estimadas em R$ 594 milhões.

No dia seguinte, o órgão obteve nova liminar, impedindo a assinatura do contrato. A decisão foi suspensa três dias depois.

leia mais ...

Acontece
SURPREENDENTE
postado em 31 de maio de 2013
HUMBERTO ARAÚJO
 
Como a vida que surpreeende a cada momento,
o futebol também oferece essa mesma sensação...
Quantas Copas vistas,
tantas outras decisões,
o futebol,como a vida,surpreende...
As nossas mulheres nem compreendem
o que sentimos,nem como valorizamos
a emoção que sentimos...
Até o mais experiente locutor ou comentarista
não esconde a surpresa que testemunha...
Um goleiro é o centro dessa emoção,comoção,
quando consegue defender um penalti no último instante
e se tornar herói quando evita o essencial do jogo...
Não é nosso time,
não é a nossa seleção,
é um jogo de Libertadores.
O futebol que sempre surpreende...

leia mais ...

Balanço
Os débitos dos clubes com a Timemania
postado em 30 de maio de 2013
Blog de blogdejj :BlogdoJJ, OS DÉBITOS COM A TIMEMANIA


JOSÉ JOAQUIM PINTO DE AZEVEDO - blogde jj.esporteblog.com.br


A Pluri Consultoria publicou mais uma trabalho sobre a saúde financeira dos clubes brasileiros, cujos dados foram retirados dos seus balanços.

Dessa vez foram analisados os débitos vinculados ao concurso de loterias Timemania, sendo constatado que no lugar de uma redução, estão sendo incrementados por conta dos juros e a ineficácia desse tipo de jogo.

No ano de 2007 foi instituída a Lei 11.345/06, que permitiu aos clubes de futebol aderir ao programa de parcelamento de dívidas tributárias, do FGTS e INSS. Nessa ocasião, as  dívidas desta natureza que estavam em atraso até 14/09/07 foram parceladas em 240 meses (20 anos) e vinculadas ao concurso.

Na verdade, os clubes quando tiraram o peso dos seus débitos, acomodaram-se e não incentivaram aos seus torcedores a participarem da loteria, e com um agravante continuaram a acrescentar débitos fiscais novos que eram proibidos na adesão a essa.

Por conta disso, o estoque da dívida só faz crescer, atingindo, em 2012, o total de R$ 1,41 bilhão na somatória dos 25 clubes de maior faturamento no país, o que equivale a 43% de suas receitas brutas. Este volume representa mais de 30% dos seus endividamentos.

O volume maior desses débitos estão concentrados em um pequeno número de agremiações, sendo que os oito maiores devedores são responsáveis por 81,6% da dívida total dos 25 maiores clubes.

Novamente o Atlético-PR aparece como exemplo a ser seguido em termos de saúde financeira , sendo o clube com menor dívida entre os 25, R$ 3,4 milhões, o que equivaleu a cerca de 3% de sua receita bruta em 2012. Na verdade o time paranaense vem dando demonstração que pratica uma excelente gestão.

Considerando os estados de origem, os Cariocas devem, em média, R$ 173 milhões, sendo responsáveis por 49% da dívida total. Em seguida aparecem os Gaúchos com média de R$ 107 milhões (15%) do total, e os Mineiros, com média de R$ 81 milhões (12% do total).

Devemos ressaltar que alguns clubes não mostraram em seus balanços o saldo da dívida com a Timemania, por não terem cumprido as condições do programa e assim sendo foram excluídos (Atlético-GO, Guarani e Náutico).

O maior devedor é o Flamengo com R$ 280 milhões (19,9% do total), a seguir, o Botafogo, com R$ 201 milhões (14,2%), Atlético-MG, com R$ 147 milhões (10,5%), Fluminense, R$ 138 milhões (9,8%), Internacional, R$ 123 milhões (8,8%).

Numa outra escala temos o Avai, com R$ 12 milhões (0,8% do total); Sport Recife, R$ 11 milhões (0,8%); Vitória, R$ 11 milhões (0,8%); Portuguesa, R$ 10 milhões (0,7%); Goiás, R$ 7 milhões (0,5%); Ponte Preta, R$ 7 milhões (0,5%); Figueirense, R$ 5 milhões (0,3%) e o melhor, Atlético-PR, com R$ 3 millhões (2% do total).

O único clube que reduziu a sua dívida foi o mesmo Atlético-PR, que desceu de R$ 5 milhões (2011), para R$ 3 milhões em 2012. O que mais cresceu nos débitos foi o Flamengo, saindo de R$ 162 milhões (2011), para R$ 280 milhões em 2012.

São números bem importantes, e que mostram o fundo do poço de um futebol que vive de mentiras, ilusões e de débitos.

leia mais ...

Seleção Brasileira
Marim organiza voo da alegria
postado em 30 de maio de 2013

FOLHA DE SÃO PAULO


O presidente da CBF, José Maria Marin, aproveitará a abertura da Copa das Confederações para agradar seus eleitores. Com o pleito em abril, convidou os 27 presidentes de federações estaduais e os comandantes dos 20 clubes da Série A para o chamado "voo da alegria".

O pacote inclui passagem aérea para os cartolas e um acompanhante, hospedagem em hotel cinco estrelas e ingressos VIP para a partida contra o Japão, no dia 15.

A programação contará com um jantar dos cartolas com Marin e o vice-presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, após o jogo.

A viagem bancada pelos dirigentes é uma demostração de força para a eleição. O colégio eleitoral é formado apenas pelos presidentes dos clubes da primeira divisão e das federações estaduais.

Marin não é candidato à reeleição, mas apoia Del Nero, seu braço direito. Andres Sanchez, seu provável opositor, que tem o apoio velado de Lula, provavelmente não estará em Brasília.

A demonstração de força de Marin deverá custar mais de R$ 100 mil à CBF.

Cartolas de federações e dos clubes confirmaram o convite. Eles vão começar a chegar à capital federal na véspera da abertura da Copa das Confederações.

Ontem, a Folha revelou que Marin repassou no seu primeiro ano de mandato R$ 27 milhões para as federações. O valor é 62,79% superior ao enviado por Ricardo Teixeira, antecessor de Marin, aos mesmos cartolas em 2011. No mês passado, as federações aprovaram por unanimidade as contas de seu primeiro ano de mandato.

O "voo da alegria" também servirá para Marin exibir seu prestígio nos bastidores do mundo da bola para a presidente Dilma Rousseff.

Desde que assumiu a presidência, Marin tem dificuldades para se aproximar do governo federal. Dilma evita encontrar o dirigente, por causa de sua atuação política durante a ditadura militar.

Há cerca de três meses, Marin ficou em situação delicada com o governo após uma série de gravações vazarem na internet. Nelas, o dirigente supostamente aparece criticando o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, comentando negócios escusos e mostrando como pode manipular a eleição na confederação.

Marin está participando de uma reunião da Fifa em Maurício e não foi encontrado pela reportagem para comentar a recepção de luxo aos cartolas em Brasília.

leia mais ...